Solução para facilitar manobras em carros populares

Projeto de aluno de Mestrado Profissional apresenta mecanismo que diminui o esforço do motorista em manobras de estacionamento

Modelos de luxo da marca Honda, Toyota, Mitsubishi, Nissan, entre outras, já vêm de fábrica, para privilégio de seus motoristas, com um sistema de esterçamento de rodas traseiras, que atua em baixas e em altas velocidades, para auxílio nas manobras de estacionamento e para a correção da trajetória.

O desafio a que se propôs o engenheiro Geancarlo Rettori, aluno do Mestrado Profissional em Engenharia Automotiva da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI-USP), sob a orientação do prof. Omar Moore de Madureira, foi o de oferecer esse conforto para os carros populares brasileiros, vislumbrando a possibilidade de colocar no mercado um item de conforto inusitado, com baixo custo de aquisição.

“O Sistema de Direção para as Rodas Traseiras de Veículos Populares é um projeto inédito, que identificou uma solução técnica que gera grande benefício para os motoristas – pois estacionar em shopping center ou em algumas garagens de prédios exige esforço e muita destreza – e que tem um baixo impacto no custo final do veículo”, apresenta o prof. Omar Madureira.

Ele comenta que o custo dos opcionais, em geral, é elevado em relação ao custo do veículo, como ar condicionado (mais de R$ 3mil) e direção hidráulica (mais de R$ 2 mil). “Verificamos que o comprador de um veículo cujo preço é R$ 25.000,00 raramente adquire opcionais desse nível. Dessa forma, o trabalho do engenheiro Geancarlo respeitou a meta de baixo custo, obtendo uma solução com preço de venda de R$ 850,00”.

Segundo o professor, a função principal do Sistema é esterçar as rodas traseiras em sentido oposto às dianteiras em manobras de estacionamento. “Essa ação origina-se a partir de um interruptor elétrico ligado à coluna de direção ou à cremalheira do mecanismo de direção e entra em funcionamento a partir de um giro de meia volta no volante e se o veículo estiver em velocidade inferior a 40 km/h , condições típicas de manobras de estacionamento”. Com esta atuação o mecanismo reduz em média 30% os ângulos de giro do volante necessários para a efetuar as manobras.

O projeto de Geancarlo é um dos trabalhos de conclusão do curso de Mestrado Profissional em Engenharia Automotiva. Só em 2005, mais de 70 alunos concluíram o Mestrado. Durante 18 meses, em cada disciplina, exercita-se o conhecimento adquirido em cima de um problema ou de uma necessidade real da indústria ou do mercado.

“Dá até para afirmar que os alunos atuam como “consultores”, apresentando soluções que contam com o apoio do corpo docente da Escola Politécnica da USP”, acrescenta o prof. Dr. Ronaldo Salvagni, coordenador do Centro de Engenharia Automotiva da POLI-USP.