Mestrado

O Mestrado Profissional em Engenharia Automotiva da Escola Politécnica da USP foi o primeiro curso de pós-graduação stricto sensu em engenharia automotiva do Brasil. Possui a aprovação e recomendação da Capes/MEC (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação e Cultura).

História do Mestrado

O Mestrado Profissional em Engenharia Automotiva da Poli-USP, o primeiro no Brasil nessa área, foi lançado em 2000, sob a coordenação do Prof. Dr. Ronaldo de Breyne Salvagni, Professor Titular do Departamento de Engenharia Mecânica da Escola Politécnica. O regulamento do curso foi aprovado pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação da Universidade de São Paulo, em 16 de março de 2000 (clique aqui para ler a íntegra do Regulamento).

O objetivo é capacitar o profissional do setor automotivo a liderar processos de evolução e de transformação tecnológica, e oferecer retorno imediato à empresa, pois o mestrando apresenta, na sua tese de conclusão, a solução de um problema da organização onde trabalha. O curso confere grau e prerrogativas idênticos aos do Mestrado Acadêmico, inclusive para o exercício da docência.

De 2000 a 2010, o Mestrado Profissional em Engenharia Automotiva, que tinha a duração de 18 a 24 meses, atendeu a diversas turmas de alunos e, naquele período, o total de 194 profissionais receberam o título de Mestre pela Escola Politécnica da USP.

Em setembro de 2015, o CEA lançou nova edição do Mestrado, que teve 14 candidatos aprovados no processo seletivo para a turma 2016. O curso passou a ter maior foco em pesquisa e desenvolvimento e novas tecnologias em produtos, processos e gestão organizacional.